Caso Carrefour: Ricardo Tripoli cobra penas mais rígidas para agressores de animais

(Brasília, 11 de dezembro de 2018) – Em discurso na tribuna da Câmara dos Deputados, o deputado Ricardo Tripoli (PSDB/SP) cobrou leis mais rígidas para crimes cometidos contra os animais e lamentou a morte da cadela Manchinha, no supermercado Carrefour de Osasco (SP). O episódio ocorrido no último dia 28 ocasionou milhares de protestos e comoveu a população brasileira.

PUNIÇÃO EXEMPLAR

Em ofício encaminhado à Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Tripoli solicitou informações detalhadas sobre o inquérito policial. O parlamentar paulista também cobrou máximo empenho do órgão nas investigações para que os responsáveis sejam punidos com o rigor da lei.

INQUÉRITO INSTAURADO

O Ministério Público de São Paulo instaurou inquérito civil para apurar o caso de agressões e maus-tratos. De acordo com denúncias, um segurança do supermercado espancou o animal, que chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Em seu pronunciamento, Tripoli ressaltou que é hora de reagir. “Não adianta só o discurso. É preciso ter ações concretas. A proteção animal precisa ser prioridade. Casos como esse não podem mais ocorrer no Brasil”, afirmou.

LEGISLAÇÃO ATUALIZADA

Durante o pronunciamento pela Liderança do PSDB, o deputado relembrou a aprovação de seu projeto de lei (PL 2833/2011) que prevê elevadas penas para agressores de animais. “Minha proposta passou na Câmara em 2015 com o apoio unânime dos deputados e está parada no Senado Federal há dois anos, sem nenhuma manifestação. Infelizmente, não andou, não é prioridade. Quando acontecem essas atrocidades é que começam a se movimentar”, apontou.

APOIO INCONDICIONAL

Ao final, Tripoli parabenizou a atuação dos parlamentares que atuam em defesa dos direitos dos animais no Congresso Nacional e declarou seu “apoio incondicional” às proposições em andamento que atualizam a legislação de crimes contra a fauna. “Não estarei aqui em 2019. Disputei a eleição para o Senado, obtive mais de 3 milhões de votos, mas não consegui obter a vaga. Espero que aqueles que ficarão aqui e os novos que virão, assumam essa bandeira. Ela é fundamental. A sociedade brasileira clama por isso”, finalizou.

Fonte: Assessoria do deputado.
Ilustração: Geraldo Felício Geralf (Instagram: @geraldolf)

Deixe um comentário