Defesa Animal: Projeto de Tripoli veda exportação de animais vivos por transporte marítimo

(Brasília, 06 de fevereiro de 2018) – O Deputado Ricardo Tripoli (PSDB/SP) apresentou ontem projeto de lei na Câmara dos Deputados que veda a exportação de gado vivo por transporte marítimo, para toda finalidade, e sob qualquer pretexto.

CONDIÇÕES INADEQUADAS

Conforme a Confederação Nacional da Agropecuária (CNA), as exportações nacionais de carne bovina cresceram 737%, em 14 anos, passando de US$ 779 milhões (R$ 2,7 bilhões) em 2000, para US$ 6,4 bilhões (R$ 22,2 bilhões), em 2014. Os números credenciam o Brasil na dianteira da produção e exportação de carne. De acordo com o projeto de lei apresentado, o bem-estar animal é fator condicionante para a permissibilidade dessas atividades. A proposta de Tripoli se debruça especificamente sobre as normas de transporte dos animais que devem seguir critérios rígidos para assegurar as condições dos bovinos. “O transporte e o manejo pré-abate estão associados com uma série de eventos estressantes aos animais, que comprometem tanto o bem-estar quanto a qualidade da carne causando prejuízos econômicos para produtores e frigoríficos”, argumenta o projeto.

EXAUSTÃO

Segundo o texto, os animais chegam a ultrapassar doze horas em exaustão física e privações dentro dos navios. Dentre os maiores problemas enfrentados, estão doenças metabólicas, estresse, limitação de espaço, ambiente pobre em recursos, instalações sujas, escorregões, contusões, quedas, manejo com agressões, desconforto térmico, exaustão física, com ocorrência de ferimentos, mutilações, pisoteamento e até a morte.

CRUELDADE

A Constituição da República, em seu artigo 225, é clara ao determinar que o Poder Público vede as práticas que submetam os animais à crueldade. Na avaliação do deputado Tripoli, a exportação de gado em pé constitui extrema crueldade. “Não há forma de atenuar o sofrimento imposto aos animais, tendo em vista as condições adversas. A exportação de gado vivo por transporte marítimo não possibilita que as normas de bem-estar animal sejam atendidas. Não cumpre as exigências. Há grave comprometimento ambiental e sofrimento aos animais. É consenso que essa atividade deve ser encerrada no Brasil”, argumentou o deputado.

Para conhecer a íntegra da proposta, acesse:

https://goo.gl/JKMLbf

Fonte: Assessoria do deputado.
Foto: Portal G1.

Deixe um comentário