Líder destaca pautas prioritárias e empenho da bancada na votação de projetos importantes

(Brasília, 26 de outubro de 2017) – O líder do PSDB na Câmara, deputado Ricardo Tripoli (SP), destacou o empenho da bancada tucana na aprovação de reformas essenciais para a recuperação da economia. Em entrevista à rádio CBN nesta quinta-feira (26), o líder detalhou as principais mudanças defendidas pelo partido para estimular a geração de empregos e de renda.

“O PSDB tem votado as medidas que são fundamentais: terceirização, reforma trabalhista, a questão da educação, a questão do teto, que são importantes para o país”, afirmou o líder. O próximo passo, na avaliação do parlamentar, é debater as reformas tributária e previdenciária.

Segundo Tripoli, trabalhadores, empreendedores e investidores não aguentam mais o gigantesco volume de impostos cobrados no país. “Vivemos uma situação tributária antiga e ultrapassada”, alertou. A proposta de reforma é relatada pelo deputado Luiz Carlos Hauly (PR), que já realizou mais de 100 palestras de norte a sul do país sobre o tema.

Outra matéria de destaque é a reforma previdenciária, amplamente debatida no Congresso. O líder explicou que a população não pode sofrer com as mudanças no sistema. Ele ressaltou a questão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos ou pessoa com deficiência de qualquer idade de baixa renda. “Dentro dessas adequações, há espaço para uma discussão e, quem sabe, até o final do ano consigamos votar uma matéria de fundamental importância para o Brasil”, completou.

Tripoli lembrou a aprovação da Lei da Terceirização e da proposta de modernização das leis trabalhistas. Em março, a Câmara acatou o projeto que permite a contratação de trabalhadores terceirizados para exercerem cargos em todas as atividades da empresa. Relatada por Rogério Marinho (RN), a reforma trabalhista foi aprovada em abril. “Temos um grande desafio pela frente. Precisamos reduzir o índice de desemprego no país e gerar renda”, concluiu.

A reforma acaba com a contribuição sindical obrigatória de um dia de salário dos trabalhadores. Qualquer desconto para sindicato deverá ser expressamente autorizado. A lei também regulamenta o trabalho intermitente, em que a prestação de serviços não é contínua. Nesse tipo de trabalho, são alternados períodos de prestação de serviços e de inatividade.

(Da redação/ Foto: Alexssandro Loyola)

Deixe um comentário